Resenha: Victoria Aveyard - A Rainha Vermelha

Não gosto de distopias, não tem gênero pra me deixar mais ansiosa do que esse, meus nervos ficam a flor da pele. Comecei a ler  "A Rainha Vermelha" mais como uma experiência do tipo sei-que-é-ruim-mas-vou-dar-uma-chance, virei a noite por causa disso, mas lhes digo: valeu a pena!

O mundo de Mare Barrow é dividido pelo sangue: vermelho ou prateado. Mare e sua família são vermelhos: plebeus, humildes, destinados a servir uma elite prateada cujos poderes sobrenaturais os tornam quase deuses.

Mare rouba o que pode para ajudar sua família a sobreviver e não tem esperanças de escapar do vilarejo miserável onde mora. Entretanto, numa reviravolta do destino, ela consegue um emprego no palácio real, onde, em frente ao rei e a toda a nobreza, descobre que tem um poder misterioso… Mas como isso seria possível, se seu sangue é vermelho?



Em meio às intrigas dos nobres prateados, as ações da garota vão desencadear uma dança violenta e fatal, que colocará príncipe contra príncipe - e Mare contra seu próprio coração.

O cenário parece ser o mesmo de todas as distopias pessoas pobres oprimidas por um governo rico e ditador. As semelhanças param aí. 

Nossa protagonista, Mare, é uma humilde ladra que ganha a vida roubando de tudo e todos para sustentar a família - mesmo esta desaprovando -, pelo menos até que complete dezoito anos e seja recrutada para a guerra para lutar junto com seus três irmão mais velhos. Gisa, é a irmã mais nova de Mare, que costura peças de seda que fazem muito sucesso entre a elite prateada, de certa forma, ela é a única esperança da família de ter uma vida melhor.

Um dia Mare descobre que seu melhor amigo, Kilorn, que até então estava a salvo da guerra, seria recrutado com apenas uma semana de aviso para se organizar. Mare junto com sua irmã, Gisa, bolam um plano desesperado que termina com Gisa tendo a mão esmagada ao tentar roubar de um prateado. Cheia de culpa e desespero Mare sai para "trabalhar" e acaba conhecendo Cal, um garoto não muito mais velho que Mare, e no qual ela desabafa um pouco do acontecido das últimas horas. No dia seguinte, Mare é enviada ao palácio do rei para se tornar uma serva e descobre que Cal não é apenas um garoto, mas também o príncipe que está preste a se tornar rei! E não apenas isso, lá Mare descobre que também tem poderes, mesmo tendo o sangue vermelho.

Com uma revolta prestes a explodir intitulada Guarda Vermelha, o rei vê em Mare uma calmaria para esses revolucionários e a promete em casamento ao seu filho mais novo, Maven, com a condição de que rei liberará Kilorn e seus irmãos da guerra. Porém ao ver como a nobreza vive na crueldade e esbanjamento, Mare, junto com Maven, decide se unir a Guarda Vermelha em seu protesto, entretanto tem que tomar muito cuidado, pois em uma das suas melhores frases:
Todo mundo trai todo mundo.
O livro é uma reviravolta só, teve horas que pensei que meu coração iria sair pela boca de tanta tensão que senti! Não é a toa que os direitos do livro já haviam sido vendidos antes mesmo dele ter sido publicado e mal posso esperar pra ver esse filme e o que os próximos livros dessa saga vão nos trazer!

Um comentário:

  1. Esse livro é maravilhooooso haha eu devorei ele!! Mal posso esperar pelo próximo!


    www.missblackdiamond.wordpress.com

    ResponderExcluir

© Nome do seu Blog - 2016 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Jaque Design | Tecnologia do Blogger.
imagem-logo