Resenha: Por Lugares Incríveis

Este é um daqueles livros que te persegue. Em todo site, livraria, blog ele estava lá como um chama e não deu outra: comecei a ler. Porém nunca poderia imaginar que este livro ia me tocar tanto, geralmente dá pra saber mais ou menos o que uma história vai nos trazer pela capa (é, a gente morre e não aprender a não julgar um livro pela capa), mas esta foi completamente imprevisível, pelo menos pra mim, que comecei a ler como quem não quer e me surpreendi deveras.
É melhor manter as palavras tristes, ruins, más, desagradáveis separadas, onde possam ser vigiadas pra gente ter certeza de que não vão nos pegar de surpresa.
Violet Markey tinha uma vida perfeita, mas todos os seus planos deixam de fazer sentido quando ela e a irmã sofrem um acidente de carro e apenas Violet sobrevive. Sentindo-se culpada pelo que aconteceu, Violet se afasta de todos e tenta descobrir como seguir em frente. Theodore Finch é o esquisito da escola, perseguido pelos valentões e obrigado a lidar com longos períodos de depressão, o pai violento e a apatia do resto da família.
Enquanto Violet conta os dias para o fim das aulas, quando poderá ir embora da cidadezinha onde mora, Finch pesquisa diferentes métodos de suicídio e imagina se conseguiria levar algum deles adiante. Em uma dessas tentativas, ele vai parar no alto da torre da escola e, para sua surpresa, encontra Violet, também prestes a pular. Um ajuda o outro a sair dali, e essa dupla improvável se une para fazer um trabalho de geografia: visitar os lugares incríveis do estado onde moram. Nessas andanças, Finch encontra em Violet alguém com quem finalmente pode ser ele mesmo, e a garota para de contar os dias e passa a vivê-los.
Nem sempre podemos enxergar o que os outros não querem que a gente veja. Principalmente quando se esforçam tanto para esconder
Um dos pontos dos livros que mais achei interessante é em como é difícil se comunicar hoje, não falo em meios de comunicação, mas em falar cara a cara com alguém e ser ouvido. Nós prestamos tanta atenção em coisas desnecessárias e deixamos de focar em coisas que são realmente importantes. Algumas coisas poderiam ser evitadas se apenas abríssemos um pouco mais os olhos e apurássemos um pouco mais ouvidos, não é difícil olhar além do que se quer porque os sinais estão bem debaixo dos nossos narizes, o difícil é sair da nossa zona de conforto e estender a mão a alguém. 

Finch foi um dos personagens que mais me tocou pela forma como ele sempre conseguia enxergar além da superfície e saber o que as pessoas estavam sentindo antes mesmo que elas soubessem, o quanto ele se doou para ajudar Violet e, no fim, o quanto ele lutou, não por si mesmo, mas por ela para não sucumbir. E, acredito, que é por isso que não consigo me conformar com o final.
Você foi, sob todos os aspectos, tudo o que alguém poderia ser. […] Se existisse alguém capaz de me salvar, seria você.
Geralmente eu evito ler livros como este, não por preconceito, mas porque passo dias depressivas depois que termino, mas como falei antes este foi uma completa surpresa, mas não me arrependo, pois acredito que toda vez leio algo parecido com Por Lugares Incríveis sinto que aprendo mais sobre as diferentes pessoas que existem e como isso não é uma desvantagem, mas algo a ser apreciado e cuidado.
Não nos lembramos de dias, nos lembramos de momentos.
E pra quem não sabe Por Lugares Incríveis vai virar filme e Elle Fanning - irmã de Dakota Fanning - foi escalada para viver Violet, a notícia foi confirmada pela editora Seguinte e ainda não se tem muitas informações sobre a produção.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

© Nome do seu Blog - 2016 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Jaque Design | Tecnologia do Blogger.
imagem-logo